Brás Pires

0
116

O Município de Brás Pires possui uma área de 223,36 km² e está localizado na Mesorregião da Zona da Mata de Minas Gerais. Às coordenadas geográficas da sede municipal são: 20°55’14″S e 43º14’32″W.
Politicamente , o município é formado pela sede, o distrito de Ribeirão de Santo Antônio e suas adjacências e comunidade da Malacacheta, que destacam-se pelo representativo número de habitantes. Brás Pires limita-se com os municípios de Senhora de Oliveira e Presidente Bernardes, a leste, com Senador Firmino, ao sul, com Dores do Turvo e Alto Rio Doce e a oeste, com Cipotânea.
ASPECTOS HISTÓRICOS
A história da formação do município de Brás Pires se vincula ao processo primitivo de povoamento do território do atual estado de Minas Gerais. Em finais do século XVII, a descoberta do ouro provocou um afluxo populacional para o interior da América Portuguesa, o que possibilitou a ocupação territorial.
Assim, foi por volta do ano de 1734 que o Capitão Brás Pires Farinho, descendente de portugueses e morador da freguesia de Guarapiranga (atual município de Piranga), chegou à região do município que hoje tem seu nome. Conta a lenda que Brás Pires, após desavenças com poderosos em Guarapiranga, desceu o rio Piranga até encontrar o Xopotó, seu principal afluente. Subiu pelas margens desse afluente até chegar num local adequado em que pudesse estabelecer roças e assim prover sua subsistência. Fixou-se então, às margens do rio Xopotó e casou-se pela segunda vez com uma índia, cujo nome cristão era Sebastiana Cardoso. Com ela constituiu numerosa família. Construiu também uma capela, e ao seu redor formou-se o arraial de Brás Pires.
FORMAÇÃO ADMINISTRATIVA
Distrito criado com a denominação de Braz Pires, pela lei estadual nº 2, de 14-09-1891.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o distrito de Braz Pires, figura no município de Piranga. Assim permanecendo em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937. Pelo decreto-lei estadual nº 148, de 17-12-1938, o distrito de Braz Pires foi transferido do município de Piranga para o novo município de Senador Firmino. No período de 1939-1943, o distrito de Braz Pires figura no município de Senador Firmino. Pela lei estadual nº 336, de 27-12-1948, o distrito de Braz Pires passou a ser grafado Brás Pires.
Em divisão territorial datada de 1VII-1950, o distrito de Brás Pires, figura no município de Senador Firmino. Elevado à categoria de município com a denominação Brás Pires, pela lei estadual nº 1039, de 12-12-1953, desmembrado de Senador Firmino. Sede no antigo distrito de Brás Pires. Constituído do distrito sede. Instalado em 01-01-1954. Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído do distrito sede. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Retificação de Grafia
Braz Pires para Brás Pires alterado, pela lei estadual nº 336, de 27-12-1948.
FONTE: IBGE/Cidades/Minas Gerais. Disponível em: . Acesso em 16 de março de 2017.

ASPECTOS DEMOGRÁFICOS
Com uma população de 4.637 habitantes (IBGE,2010), Brás Pires se insere num contexto regional de pequenos municípios, polarizados por cidades de médio e grande porte, que são referenciais econômicos , culturais e de prestação de serviços. Em sua microrregião, Brás Pires recebe grande influência do município de Ubá. No entanto, outros municípios de médio porte também exercem a função de centros de serviços regionais, como Viçosa, Conselheiro Lafaiete e Barbacena. Belo Horizonte e Juiz de Fora se sobressaem como cidades- pólos, oferecendo uma gama maior de serviços, e, enquanto tal, canalizando para si uma série de demandas públicas e privadas.
POTENCIALIDADES CULTURAIS
O município de Brás Pires destaca-se pelas suas potencialidades culturais. Destaca-se pelos inúmeros bens tombados e inventariados, além das instituições culturais e manifestações religiosas de tradição.
Na agenda cultural do município, acontece anualmente o Encontro de Guardas de Congo, que reúne Guardas de Congos de diversas localidades, o que proporciona um intercâmbio cultural de grande riqueza e atrai um grande número de visitantes. Nesse ponto, observa-se o crescimento do comércio local.
É realizado também o encontro de Bandas de Música, e assim como o Encontro de Guardas de Congo, traz ao município a diversidade cultural e a beleza das apresentações que encantam os moradores e visitantes.
No mês de junho de cada ano é realizada a tradicional Festa de Santo Antônio, no Distrito de Ribeirão de Santo Antônio. Tal festividade é marcada pelas belíssimas solenidades religiosas que são prestigiadas pelas apresentações da Guarda de Congo e Banda de Música. Atrai um grande número de visitantes na cidade e constitui também um momento de lazer para o Município, já que a noite, na Praça, são realizados diversos shows de gêneros musicais variados.
É realizada, anualmente, no mês de julho, a Festa da Batata. É o evento que atrai maior número de visitantes no município. Conta com a apresentação de artistas de renome nacional e regional, além de ser ponto de encontro de famílias e amigos.
Como a manifestação mais antiga do Município, a Festa de Nossa Senhora do Rosário (em honra à Nossa Senhora do Rosário e Santa Efigênia) acontece anualmente, no mês de outubro. É bem imaterial registrado, e tem como instituições integrantes, a Corporação Musical Braspirense e a Guarda de Congo Rosário da Aliança. Em tal festividade, é seguido um ritual que compreende um período de preparação com rezas tendo como ápice o Reinado de Santa Efigênia e Nossa Senhora do Rosário, com a participação da Banda de Música e Guarda de Congo. No período da festividade, há um grande fluxo de visitantes de diversos estados o que propicia uma grande movimentação no comércio local.

Fontes:
IBGE
Plano de Desenvolvimento Municipal, 2010/2020.
Arquivos da Secretaria Municipal de Educação e Cultura

COMPARTILHAR