AMALPA realiza I Fórum Social no município de Congonhas

A AMALPA – Associação dos Municípios da Microrregião do Alto Paraopeba realizou o I Fórum Social, dia 05/08 no município de Congonhas, através do Presidente e Prefeito de Congonhas Cláudio Antônio de Souza e do Secretário Executivo Claudionei Nunes.

O evento contou com palestras de suma importância para o desenvolvimento regional, como:
Da palestrante Lucélia dos Reis Silva que falou sobre a população em situação de rua e as suas particularidades; o trabalho com a população em situação de rua: estruturação dos projetos de atendimento – serviço de abordagem social.

Do mestre e graduado em Psicologia pela UFMG Gregório Ribeiro de Miranda, que falou sobre os recursos técnicos e teórica: As especificidades do trabalho psicológico.

Da mestre em proteção aos Direitos Fundamentais e especialista em Direito Público Fernanda Resende Severino que abordou sobre a política nacional para a população em situação de rua; dispositivos normativos aos cidadãos em situação de rua; os caminhos do direito / Direito fundamental / Dignidade e inclusão; a dimensão ético-político da atuação com a população em situação de rua.

Da pós-graduada em psicopedagogia clínica e institucional pela UNINTER Aline Roberta Santos Oliveira que falou sobre os atores, papéis e atribuições da rede; suporte e acompanhamento de casos (trabalho, saúde e educação profissional); desafios para a consolidação da política nacional para a população em situação de rua e efetivação de direitos no atendimento.

Além disso, a secretária de Assistência Social de Conselheiro Lafaiete Magna Cupertino falou sobre a atuação do Centro POP de Lafaiete que é o único município da região que possui esse atendimento, ressaltando as evoluções desde a sua implantação bem como os desafios na prestação dos serviços.

E a psicóloga Eda Maria dos Santos compartilhou a experiência prática de atuação do acolhimento da população de rua encaminhada ao serviço de atendimento psiquiátrico (CAPS), falando da importância da atuação multidisciplinar nos atendimentos desse público e o quanto esse profissional tem que estar emocionalmente preparado para ser o suporte e atendimento a essas pessoas.

O fórum contou com a expressiva participação dos convidados que contribuíram com pontuações pertinentes às particularidades de atuação dos municípios, com servidores e representantes de 15 municípios da região. Além do depoimento de um ex-morador de rua que foi acolhido e atualmente é funcionário da casa de acolhimento provisório de Congonhas, do Projeto Vida Nova Acolhe.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.